Não estrague seu SEO com Press Release

Não estrague seu SEO com Press Release

Como não estragar seu SEO com Press Release em massa

A migração dos profissionais da mídia impressa para o ambiente digital não se faz sem preparo.

A mídia digital possui normas própria e técnicas que por vezes são ignoradas pelos profissionais de marketing que tem como origem a mídia impressa.

É isso que está ocorrendo atualmente em relação aos press releases que circulam pela internet. As empresas de marketing enviam o mesmo texto para centenas de sites e blogs relacionados ao assunto e o resultado é a penalização de alguns sites.

O press release para a web tem que seguir regras próprias do marketing digital, principalmente as que dizem respeito ao marketing de busca.

Nenhum administrador de conteúdo de um site vai querer ficar publicando uma matéria que já foi publicada por dezenas de sites com a mesma formatação e conteúdo.

Não bastasse o problema da “notícia requentada” o site ou blog pode ser punido pelo Google já que não estará apresentando conteúdo relevante. A revisão Panda tem justamente essa função, excluir sites com conteúdo de baixa relevância das páginas de respostas do Google.

Quem sofre é o usuário

Deixando de lado outras considerações, o maior prejudicado nessa história é o usuário. Eu mesmo, a poucos dias fazendo uma pesquisa na Internet para o conteúdo de um projeto, me deparei com dezenas de links nas páginas de resposta para o mesmíssimo conteúdo, um press release distribuído sobre um certo assunto.

Nem precisa dizer que fiquei bastante decepcionado. Quando você parte de um texto e evolui a discussão é uma coisa, mas textos idênticos são realmente decepcionantes. Não se cria diversidade de opinião.

O pior para os sites que publicam os press releases em massa veio recentemente e partiu de ninguém mais ninguém menos que o todo poderoso Google. O Google disponibilizou uma ferramenta pela qual você pode excluir um determinado site das suas buscas. Já pensaram no que é isso?

Se o seu site começar a incomodar o leitor por ter artigos que já foram publicados em outros sites, o usuário poderá criar o seu próprio “banimento do Google” e o seu site jamais será exibido para ele de novo. É uma visão do inferno!

  Leia mais no artigo Press Release Precisa Agregar Valor

Press Release e SEO

Um outro problema sério com a publicação na web de um press release que foi enviado para dezenas de outros sites é a punição do Google por considerar que o site apresenta conteúdo de baixa qualidade. A coisa é simples, o Google fez, há algum tempo, uma revisão de seu algoritmo, o que ficou conhecido como a Revisão Panda.

Por esse novo critério, sites que não apresentarem conteúdo relevante sofreram uma punição em seu rankeamento. Entre estes critérios está a questão de conteúdo repetido. Já imaginou o reflexo dessa diretriz sobre um site que publica centenas de textos idênticos aos de outros sites do segmento?

É claro que quando estamos desenvolvendo um press release, temos que nos preocupar com as boas práticas do SEO no jornalismo, mas também devemos nos preocupar com o SEO dos nossos sites parceiros e essa questão da duplicidade de conteúdo precisa ser avaliada.

Sempre comento nos cursos de SEO que ministramos, que a chave do sucesso em termos de busca orgânica é a relevância do conteúdo. Os buscadores querem conteúdo novo e diversificado. Se ao visitarem o seu site se depararem com um conteúdo que já encontrou em diversos outros sites, certamente irão considerar o seu site de baixa relevância e ignorar suas páginas. Conhece algum pesadelo maior que esse?

Um caso real de problema com a publicação indiscriminada de press releases

O blog de um conhecido meu, na ânsia por conteúdo, saiu publicando tudo quanto era press release que lhe era enviado. O resultado foi um decréscimo no ritmo de crescimento do Page Rank, um aumento considerável na taxa de rejeição do blog e redução do número de páginas visitadas e tempo no site.

Parece uma visão do inferno, concorda? Destrinchando o Google Analytics, percebemos que as altas taxas de rejeição estavam concentradas exatamente nos posts que tinham como origem os press releases enviados e publicados da forma que vieram.

Era claro o que estava acontecendo, e imediatamente identificamos dois possíveis motivos para esse comportamento. A primeira hipótese era a de que as pessoas já tinham lido a notícia em algum lugar e por isso o conteúdo não retinha os visitantes no site. A segunda era de que o conteúdo não era atrativo o suficiente para reter os visitantes no site.

Uma vez identificado o problema, sugeri que ele parasse de publicar os tais press releases ou então exigisse conteúdo exclusivo para sua publicação. Implantada essa política, o resultado foi uma violenta queda na taxa de rejeição e a melhoria dos outros indicadores como você pode ver no gráfico abaixo.

A solução do problema do press release na web

Que os press releases são ótimas ferramentas de marketing, isso não se discute, mas é necessário que os produtores desse tipo de material entendam que na web a coisa é bem diferente. O SEO – Search Engine Optimization de um site é talvez a forma de marketing digital mais importante para garantir a sobrevivência do site.

Se a publicação de um press release afeta o posicionamento do site nas ferramentas de busca, a opção é não publicá-lo. A solução do problema parte dos profissionais de jornalismo e assessoria de imprensa voltada para a web.

O press release para a web tem que ter no mínimo umas 4 versões diferentes para que os veículos possam aceitá-los com tranquilidade. E até mesmo isso tem que ser feito de forma profissional, porque não adianta trocar a ordem dos parágrafos ou outras “malandragens assim”, o Google consegue identificar.

Sem isso, o risco de penalização por falta de relevância é muito grande e qualquer editor comprometido com o bom posicionamento do site em ferramentas de busca irá rejeitar a publicação.

Mantenha-se atualizado sobre o SEO no jornalismo e outros assuntos relacionados a área de comunicação e assessoria de imprensa, assinando nosso Boletim Informativo.

0.00 avg. rating (0% score) - 0 votes