Qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral

Não saber a diferença entre o marketing político e marketing eleitoral tem custado a muita gente valiosos votos que podem decidir uma eleição. Além disso, ignorar a diferença entre estes dois conceitos também aumenta sensivelmente o custo das campanhas.

Não estamos falando apenas de uma questão de nomenclatura. A diferença entre marketing político e marketing eleitoral envolve questões como estratégia, conteúdo e muito mais. Por isso, vamos discutir neste artigo as características de cada uma dessas dimensões do marketing voltado para ações políticas.

Marketing Político

Diferença entre marketing político e marketing eleitoralPara deixarmos bem claro qual a diferença entre marketing político e marketing eleitoral, vamos começar por definir o primeiro. O Marketing Político, ou marketing de governança, é composto por um conjunto de ações que visam divulgar as ações de um detentor de cargo eletivo durante a duração do seu mandato.

O Marketing Político é composto de ações permanentes com o objetivo de criar junto ao público, uma imagem que será usada tanto em futuras disputas eleitorais, como também em situações em que o apoio popular é necessário para se atingir um determinado objetivo político ou social, como na propositura de novas leis ou reforma da legislação existente, por exemplo.

Marketing político é o segmento específico dentro da comunicação mercadológica voltada para o ambiente político e ou eleitoral, que visa estreitar a relação de expectativa de um determinado grupo de pessoas em relação às questões que envolvem seu cotidiano e a materialização da mesma em um candidato, um governo, um partido ou um grupo político. – Wikipédia

O Marketing Político é uma estratégia de longo prazo, que tem como objetivo principal a criação e divulgação de uma marca pessoal que será a base das futuras ações. A função desta estratégia é adequar o detentor de cargo eletivo ou postulante, ao seu eleitorado em potencial.

O objetivo em um primeiro momento compatibilizar o discursos com os anseios do eleitorado e tornar a pessoa conhecida de um número cada vez maior de eleitores na sua área de influência, de forma a conquistar o apoio destes eleitores para sua ações políticas e eleitorais.

O marketing político precisa ser contínuo e por isso, principalmente nos dias de hoje, quando a informação domina a sociedade, é preciso ter uma equipe constantemente cuidando desse aspecto da vida pública.

Marketing Eleitoral

O Marketing Eleitoral, diferentemente do marketing político puro e simples, tem como foco, única e exclusivamente as ações de comunicação e divulgação voltadas para um determinado pleito. É uma estratégia de curto prazo e objetivo muito bem definido, e portanto, muito mais fácil de ser analisada e mensurada.

Neste segundo caso, a Wikipédia define o Marketing Eleitoral como um “conjunto de técnicas que visam tornar um candidato a cargo público conhecido e aceito no período eleitoral, através de suas propostas e projetos.”

O marketing eleitoral não pode estar dissociado do marketing político, pois um complementa o outro, tanto no período pré eleitoral quanto pós. A história do marketing político mostra que os grandes estrategistas alinham as duas ações buscando uma sinergia entre elas.

Marketing político ou eleitoral ditando as estratégias

A diferença entre o marketing político e o marketing eleitoral impacta seriamente as estratégias adotadas nas duas situações. No caso do marketing político, ou marketing de governança, o foco é o Branding, ou seja a consolidação de uma marca, seja ela pessoal como no caso dos detentores de cargos públicos ou institucional, como no caso de partidos e coligações.

A grande diferença entre marketing político e marketing eleitoral está justamente ai. Como no marketing político o objetivo é o Branding, a verificação de sua eficácia é muito mais subjetiva ao passo que no marketing eleitoral existe uma “meta de conversão” muito clara: a eleição.

No caso do marketing eleitoral, como o foco é única e exclusivamente a eleição de um candidato a meta de conversão é bem mais palpável e facilmente verificada. Por isso, o marketing eleitoral exige estratégias que sejam mais pautadas por métricas e KPIs, quando podemos constatar numericamente se as ações implementadas estão surtindo o efeito desejado ou não.

Agora que você já sabe a diferença entre marketing político e marketing eleitoral, o que acha de rever suas estratégias e adaptá-las em função de seus objetivos? Mantenha-se atualizado sobre o marketing político e eleitoral, assinando nosso Boletim Informativo.

Por Alberto Valle no portal Eleitor Online

Diferença entre marketing político e marketing eleitoral
5 (100%) 6 votos

Clique aqui e veja como cadastrar gratuitamente seu currículo no Marketing Jon